—  Organizando Finanças Pessoais
80% - 10% - 10%

Parece um código do Lost (desencavamos essa), mas não é.

A regra de 80% - 10% - 10% ajuda a organizar as finanças, montar seus investimentos e contribuir com a sociedade.

Como? Vamos lá, por partes.

Os 80% são referentes a quanto você pode utilizar do seu **orçamento mensal para suas despesas. **

Ainda não faz um orçamento mensal das suas despesas? Bem… a grande maioria das pessoas não faz, mas não comemore, pois isso não te absolve.

Você precisa fazer! Mas não precisa se desesperar, pois é bem fácil: uma folha de papel colada na geladeira onde você anota de um lado sua receita (salário, bônus, freelas, etc) e do outro lado as despesas (aluguel, condominio, alimentação, etc).

A receita menos a despesa vai mostrar o seu saldo. Essa conta tem que dar pelo menos no zero. Se der positiva, é porque está conseguindo fazer sobrar. Se está negativa, é um problema a ser resolvido e na matemática financeira não existe romance: ou você aumenta sua receita ou diminui a despesa, sem terceira opção.

Para ajudar você a analisar seus gastos, segue abaixo a média do que uma família gasta em cada categoria:

Moradia: 27%
Saúde: 9%
Educação: 14%
Transporte: 14%
Alimentação: 17%
Lazer: 11%
Vestuário: 5%
Extras: 3%

O primeiro dos 10% são o seu dízimo para o futuro. É o que você precisa reservar para investimentos. Se tem um salário de R$ 5.000, então R$ 500 precisam ser retirados para esse objetivo.
Investir mensalmente esse 10% é como colocar um tijolinho por vez. Com o tempo você vai ver o enorme castelo que construiu (pode parecer clichê, mas é real).

Como exemplo, investindo R$ 500 por mês durante 25 anos a um retorno anual de 12% (portfólio moderado, com mix de ações e renda fixa) você deve chegar bem perto de R$ 1 milhão.

O importante é que esse 10% não seja a sobra da sobra. É muito comum que a sobra no mês seja destinada para um outro gasto, como uma viagem e a sobra da sobra acaba indo para um tênis novo. E somente a sobra da sobra da sobra vai para poupancinha. Essa estratégia não funciona. O seu dízimo deve sair em primeiro lugar do orçamento como uma linha de despesa. Exemplo: salário de R$ 5 mil, então reserva R$ 500 para o dízimo e agora sobraram R$ 4.500 para as despesas do mês.

Os outros 10% são o que você precisa doar e isso pode ser feito de duas formas, em dinheiro ou em tempo e ambos têm o mesmo valor.
Se você conseguir economizar em dinheiro esses outros 10%, ótimo. Doar é um bem para a sociedade e para sua alma. Existem diversas organizações que precisam da sua doação. Entre tantas, citamos o Instituto Ayrton Senna que tem como missão a educação.

Se você quiser doar esses 10% em tempo, ótimo também. Dinheiro nada mais é do que tempo que você trabalhou para conquistar essa grana. Então doar dinheiro ou tempo são igualmente nobres.
Leia sobre o fator tempo X dinheiro neste post.

Mas como doar tempo? Diversas instituições precisam da sua ajuda. Uma delas é a Junior Achievement. Você pode se candidatar e ser mentor em algum dos diversos programas deles.

Ou você pode simplesmente compartilhar o seu talento com alguém que precisa. Digamos que você seja uma ou um designer, trabalha em um coworking e uma empresa vizinha está desenvolvendo um produto que precisaria muito de um olhar de talento como o seu. Que tal doar parte do seu tempo para ajudar? Sem cobrar, ajudar por ajudar.

Empreendedorismo é o que mais faz uma sociedade prosperar, gerando mais oportunidades e impostos. Se você ajuda uma empresa, está ajudando toda a sociedade.

Basicamente, o que queremos dizer com essa divisão do seu dinheiro (e do seu tempo) é o seguinte: devagar se vai ao longe (ok, último clichê, prometemos!). Às vezes com apenas 10% que você reserva para o seu futuro e para a sociedade, você já faz uma diferença enorme.

A vida pode ser mais que apenas pagar boletos, contas ou ficar no negativo. Redistribuir o quanto você ganha não precisa ser um sacrifício e pode trazer muitos benefícios não só para você, mas para todos à sua volta. Basta se organizar e fazer o que está ao seu alcance agora.

Que tal começar hoje? Quantos % você está investindo no seu futuro?