—  Warren
Investir pode ser muito mais simples do que tocar banjo!

No Warren, nossa preocupação sempre foi tentar criar a experiência mais fantástica de investimento. Dentro dessa missão, além de um design bacana ou portfólios inteligentes, a simplicidade precisava ser o carro-chefe. Se investir bem é tão importante, por que só existiam plataformas chatas e super complicadas? Você precisava passar por um curso gigante para entender onde estava cada botão.

O processo de criação do Warren foi realizado em cima de muito estudo. Além disso, quase 500 betas testers ajudaram com feedbacks, deixando o fluxo mais simples.

Nós até temos um mural em homenagem aos betas aqui na firma 😀

Mas, vamos à prática, como pode ser simples investir no Warren?

São quatro etapas.

1) Primeiro é preciso saber seu perfil de risco.

O seu perfil de risco vai, basicamente, do mais conservador ao mais arrojado. No Warren isso é identificado, inicialmente, através de um bate-papo com o Warren, que está aberto na web ou no app de iOS. Você pode fazer o bate papo clicando aqui.

Depois, constantemente, o Warren fica verificando o seu perfil. Ele analisa a sua frequência de acessos, tempo logado e interações com a plataforma, como post lidos e tipos de objetivos criados. Isso significa que você entra com um perfil de risco padrão e depois terá o seu único e exclusivo perfil.

2) Segundo, para que você quer investir?

Todos temos sonhos na vida, como fazer uma viagem incrível ou ter uma aposentadoria confortável.

Organizar esses sonhos e investir bem neles tornará mais fácil que eles sejam alcançados.

Esses sonhos, chamamos de “Objetivos” e o Warren é a primeira e única plataforma na qual você pode criar diversos objetivos de investimentos (quantos você quiser), criar portfólios para eles e acompanhar de forma super simples na sua área logada.

“Ah, mas eu não tenho nenhum objetivo em mente, mas quero investir bem, o que faço?”

Investir bem é um objetivo e isso você faz no Warren 🙂

3) Depois vem os produtos para investir.

Ao criar um objetivo, o Warren, que já conhece o seu perfil e agora sabe para que você quer investir, usa essas informações para sugerir os produtos certos (renda fixa e ações). Chamamos isso de portfólio de investimentos. Você pode ter portfólios diferentes para objetivos diferentes.

Vamos a um exemplo:

Digamos que você tenha dois objetivos: quer ser milionário em 10 anos e quer fazer uma viagem incrível em 1 ano (e precisa de R$ 10 mil para ela). Para cada objetivo, o Warren vai usar o seu perfil e o prazo estabelecido para sugerir um portfólio.

Para o objetivo “milionário”, a sugestão terá ações no portfólio (para buscar um retorno melhor de longo prazo), já para o objetivo “viagem” a sugestão tende a ser 100% em renda fixa (para não ter risco).

4) Por fim, investir e rebalancear!

Se você gostou da sugestão do Warren é só dar um nome para o seu objetivo, fazer uma transferência bancária e começar a investir. Se não gostou, pode customizar, colocando mais ou menos risco.

O que acontece na prática é que você faz a remessa de recursos para sua conta no Warren e quando ela chega, o Warren compra os produtos nas bolsas.

Quando são ações, essas ordens são enviadas automaticamente para as bolsas e quando são produtos de renda fixa, a equipe do Warren varre 5 grandes players no mercado antes de qualquer execução. Isso ocorre porque o Warren sempre busca comprar os produtos de renda fixa na melhor taxa para os portfólios.

Além disso, todo o santo dia o Warren faz o rebalanceamento dos portfólios, deixando eles sempre o mais próximos do ideal.

Viu!? São apenas 4 etapas! O trabalho chato e complicado fica com o Warren.

Você cria objetivos, investe neles e depois acompanha de forma super fácil. E assim sobra tempo pra fazer coisas muito mais legais, como aprender a tocar banjo 😉

fale com warren

(Photo Matheus Ferrero)