—  Bê-a-bá dos Investimentos
É preciso calma no meio da euforia

As bolsas americanas e a brasileira vivem dias fantásticos.

Nos EUA, os três índices principais (S&P500, DowJones e Nasdaq) estão em patamares nunca antes vistos. Uma escalada de alta que começou lá no início de 2009.

Já a bolsa brasileira ainda não ultrapassou as suas máximas atingida em maio de 2008, logo antes da explosão da crise dos subprimes, mas também anda muito animada.

Surge um problema bom!

Como os portfólios do Warren que tem ações investem no S&P500 (500 maiores empresas americanas) e investem também em ações de empresas brasileiras, obviamente a performance desses portfólios está fantástica.

E aí vem o propósito deste post: muita calma nesta hora!

A oscilação do preço das ações no curto prazo pode ocorrer por diversos motivos e estes, muitas vezes, são até estranhos. Mas, no longo prazo, os preços das ações são o reflexo do bom desempenho das empresas e este bom desempenho está conectado a uma economia crescente.

Como a tendência da economia é crescer no longo prazo, o investimento em ações deve ser sempre pensado para o longo prazo.

Por isso, não misture portfólios arrojados que são melhores para objetivos de longo prazo, com objetivos que tem como regra um dinheiro seguro no curto prazo.

A dica serve para os momentos de queda na bolsa, e eles vão acontecer, mas, se o pensamento for de longo prazo, a turbulência do curto prazo não poderá atrapalhar.

Investir bem é investir certo, sem usar a euforia ou pânico para tomar decisões.

fale com warren

(Photo By I’m Priscilla)