—  Organizando Finanças Pessoais
Então você é um empreendedor!

Você teve uma ideia na quinta, validou na sexta, no sábado montou o produto, no domingo começou a divulgação e na segunda já estava faturando R$ 10 milhões (por hora). Você acorda às 10 da manhã e nunca vai para o trabalho sem jogar uma partidinha de tênis antes.

O seu maior problema? Saber o que fazer com tanto dinheiro. Uma Ferrari vermelha ou uma Lamborghini amarela? Mansão em Aspen para esquiar no inverno ou casinha de verão em Fernando de Noronha?

Já esqueceu até aquele papo de anuidade grátis do Nubank, agora seu cartão de crédito é um Amex Ninja Platinum Gold Blacker than Black. Ele não te dá milhas, te dá um jatinho particular a cada compra e você pode optar se quer a Scarlett Johansson como comissária ou o George Clooney como comissário.

Ok, agora chega de sonho e vamos a versão verdadeira:

Então você é um empreendedor.

Você teve uma ideia na quinta (do ano passado), validou com a mãe que achou sensacional e depois com os não-“mães” que acharam uma merda e/ou não entenderam. Você então mudou tudo (“pivotou” como faz parte do vocabulário do novo empreendedor), sofreu para achar sócios que sonhassem junto (alguns o abandonaram no meio do caminho), raspou a conta bancária e fez uma vaquinha com a família, passou vários perrengues na junta comercial, teve que aprender coisas interessantes, de CAC a LTV, e não tão interessantes, de contabilidade a direito.

Acordar às 10 da manhã? Essa é a piada número 1. Às 10 da manhã você ainda nem foi dormir. A cabeça até deitou no travesseiro lá por duas da madrugada, mas os pensamentos não pararam.

Ganhar dinheiro? Piada número 2. Sua conta bancária está murchando, aquela vaquinha com a família acabando e o pouco que entra ainda não paga as contas.

Mas o seu produto é bom, resolve um problema, entrega uma experiência fantástica e os usuários estão gostando e indicando. O que então você precisa fazer nessa época de vacas magras?

Resumindo, três coisas:

Paciência, velocidade e gerir bem a grana.

Paciência

Quando as coisas estão no caminho elas vão acontecer, mas, na maioria das vezes, elas precisam de tempo. Você não vai construir uma empresa no fim de semana. É como jogar Counter Strike. Para você chegar ao nível “Global”, terá que começar como “Prata” e treinar muito para ir pulando de níveis. Essa base é importante para que você construa uma empresa sólida para o futuro.

Velocidade

Como assim? Você acabou de me pedir paciência? Não confunda velocidade com ansiedade. Ansiedade é o desespero de pular de nível sem mesmo estar preparado pra isso. Velocidade é dar o ritmo certo. As decisões precisam ser tomadas com velocidade, mas com pensamento de longo prazo. É a velha máxima: pense grande, comece pequeno, ande rápido.

Gerir bem a grana

Eu não entendo empreendedores que enaltecem quanto de dinheiro estão queimando por mês. Parece aquela disputa de quem cospe mais longe. Cuspir não é legal, assim como torrar dinheiro também não. Você precisa alocar os recursos de forma inteligente, principalmente se você está na fase da pindaíba, em que cada real faz diferença. Não dá para nesta fase, por exemplo, estar na Faria Lima e servindo água Perrier para os convidados.

De fato, gerir bem a grana não só é importante para as contas da sua empresa, mas também suas contas pessoais. Cuidar bem do seu dinheiro poderá proporcionar coisas fantásticas, desde uma viagem de férias para desopilar a cabeça de tantos problemas (e voltar reenergizado para enfrentar todos eles) até a criação daquela reserva de emergência para ser usada no curto prazo. Essa, aliás, seria a melhor dica para esse momento de empreender. Ter uma reserva de emergência que você pode acessar a qualquer momento, investindo em produtos mais conservadores.

Tito Gusmão, fundador da Warren
(Photo by Brooke Lark)