—  Bê-a-bá dos Investimentos
ETF (Exchange Traded Funds), o que é?

Para entender ETF, primeiro é preciso entender o que é um Fundo de Investimentos. Fundo de Investimento é um lugar que reúne recursos de um conjunto de investidores com o objetivo de ver a grana se valorizar.

Sacos com várias coisas dentro!

A grandes vantagens do Fundo são a diversificação, pois um Fundo tende a investir em diversos ativos, e custos mais baixos, pois como um Fundo é um condomínio cheio de investidores, os custos são diluídos entre todos.

Um ETF (Exchange Traded Fund) é como um Fundo de Investimentos, mas com duas diferenças.

A primeira é que um ETF tem suas cotas negociadas em bolsa. Não é necessário enviar recursos para o Fundo e depois esperar esse recurso se transformar em cotas ao final do dia. Basta comprar cotas através da bolsa, com bastante agilidade.

E a segunda é que um ETF, normalmente, segue um índice de referência (benchmark), por exemplo um índice de ações, como o IBOVESPA. Com isso sua composição (os ativos que ele está comprado) é super transparente.

Em resumo, um ETF tem diversificação, custos diluídos, agilidade e transparência. E a cereja do bolo é que a taxa de administração, comparada a um Fundo de Investimento, normalmente é bem menor.

No portfólio do Warren você investe em ações através de quatro ETFs.

São eles:

PIBB11: Foco nas maiores!

O índice de referência é o IBrX-50 que investe nas 50 ações (empresas) mais líquidas do Ibovespa, sendo que as três principais são Itaú, Ambev e Bradesco.

SMAL11: Pequenas Empresas, Grandes Negócios!

Este ETF investe nas empresas menores que são negociadas na bolsa brasileira. As três principais são a Totus, a SulAmérica e a Fleury.

DIVO11: Pagadoras de dividendos !

O índice de referência é o Índice de Dividendos – IDIV da BM&FBovespa, que tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos que se destacaram em termos de remuneração dos investidores, sob a forma de dividendos e juros sobre o capital próprio.

IVVB11: Internacionalizando seus investimentos!

Este ETF busca no Brasil replicar o movimento do S&P500, que é o principal índice dos EUA. Entre as empresas americanas mais famosas que compõe este índice estão: Apple, Google, Facebook, Amazon, Disney, Coca-Cola, McDonalds, Nike.

Para um ETF estar no portfólio do Warren, precisa passar por crivos, como: liquidez, proximidade ao seu benchmark e custo. Por exemplo, um dos ETFs mais importantes do portfólios do Warren é o PIBB11, com excelente performance, bom volume de negócios e com taxa de administração ao ano de 0,059%.

Apenas reforçando: o Warren não ganha nada desta taxa de administração, por isso o interesse do Warren é sempre encontrar os ETFs mais eficientes e com menor custo para você.

fale com warren

(Photo By Julian Andres Carmona Serrato)