—  Bê-a-bá dos Investimentos
A importância de cuidar dos seus investimentos

Independente de você ser um biliardário ou ter recém economizado seus primeiros mil reais, você DEVE cuidar dos seus investimentos.

Temos muita preguiça em cuidar do nosso dinheiro e pensar no nosso futuro. Talvez seja culpa de um passado próximo de hiperinflação, em que planejar o futuro financeiro era bem difícil.

Quem viveu os anos 80, deve lembrar que os os mercados viviam cheios dos caras com as maquininhas de remarcar preço. Em 1993, a inflação foi de quase 2.500% ao ano! Isso… 2.500%!!!

Quer um exemplo para entender o contexto daquela inflação absurda?

Você fez 17 anos e seu avô, que mima você de monte, promete lhe dar um carro assim que você fizer 18 anos.

Você fica ansioso e sonha com o carro que vai ter. Encontra um lindão, na cor que você quer e na faixa de preço que seu avô disse que pagaria, 35 mil.

Um ano se passa e você vai na tal loja comprar o carro que estava 35 mil. Porém, sabe qual será o preço ajustado à inflação de 2.500%? 3,7 MILHÕES!

Se seu avô tivesse dado a você os 35 mil e você tivesse guardado toda essa grana em um porquinho, um ano depois você não compraria nem o tapete do carro.

Nestas condições, era muito difícil pensar em planejamento financeiro e longo prazo.

Mas as coisas mudaram! A inflação ainda nos perturba, mas não chega perto do pandemônio das décadas anteriores. Agora você pode e deve se programar.

As tribos de investidores e os tipos de investimentos

Um dos fundadores do Warren já ministrou mais de 500 cursos e palestras sobre investimentos em todo o Brasil. Ele teve a oportunidade de conhecer os mais diversos tipos de investidores e potenciais investidores.

Baseados nas vivências dele, citamos três grupos principais de investidores:

a) O grupo dos que trabalham sem parar, mas não dedicam um segundo da vida para investir bem e, por isso, acabam deixando tudo na poupança, a solução mais fácil.

b) O grupo dos que confiam cegamente nas dicas de gerentes ou assessores e investem em algo que, talvez, não seja a melhor opção.

c) O grupo dos que entram rápido no internet banking e escolhem alguns fundos sem a menor preocupação com a construção de um asset allocation eficiente.

Todos estão errados.

Por quê?

Porque nenhum deles cuida bem dos investimentos.

Deixar o dinheiro na poupança, que rende 7% ao ano, enquanto títulos do governo rendem o dobro, não é uma boa decisão.

Se você investir R$ 10 mil iniciais e R$ 500 mensais por 15 anos, com o retorno de 7% ao ano da poupança, você terá R$ 187 mil no final.

Agora, se você investir em Tesouro, com retorno de, em média, 14% ao ano, você terá R$ 383 mil. Mais do que o dobro em um investimento tão seguro quanto a poupança.

Também não é boa decisão confiar 100% no gerente ou assessor.

Eles recebem comissão pelos produtos que indicam e, consequentemente, podem indicar produtos que são melhores para eles.

Dos gerentes, é normal receber sugestões de planos de previdência horríveis, CDBs com péssimos retornos e Fundos com taxa de administração altíssima.

Dos assessores de corretoras, será normal também receber sugestões de Fundos de Investimento com taxa de administração alta ou “dicas quentes” para ficar sempre trocando algum produto de renda fixa ou ações na sua carteira.

Além disso, respirou, paga!

Fora as infinitas taxas, como taxa de manutenção, taxa de custódia, taxa de performance, taxa de entrada e por aí vai, respirou, taxa!!!

Hoje o maior fundo do Brasil cobra uma taxa de administração de 3,9% ao ano, sendo que o justo seria 0,80%. Se você investir R$ 20 mil neste fundo durante 15 anos, vai pagar R$ 15.865,00 só em taxas. O justo seria pagar R$ 2.522,00. São R$ 13.343,00 que você paga a mais por ser “bem” assessorado.

Por último, investir bem não se resume a entrar no internet banking, comparar rentabilidade do último mês dos Fundos de Investimento e investir.

Para investir bem é necessário saber qual o seu perfil e qual o seu objetivo com o dinheiro.

Por exemplo, se você vai precisar de recursos no curto prazo, seu portfólio precisa ter produtos que possam ser facilmente resgatáveis e que não corram risco de oscilação grande nos preços.

Mas se você não vai precisar, pode investir em produtos que tenham volatilidade maior e que possam dar um retorno maior no futuro.

Tá vendo como é importante cuidar do dinheiro? Percebeu o quanto você pode perder investindo mal?

fale com warren

(Photo By Hugues Adamo)