—  Bê-a-bá dos Investimentos
Investir por objetivos

Investimos porque o dinheiro nos proporciona experiências e vivências.

Muito já se falou sobre investimento em ações, em fundos, em tesouro e todos os outros jargões do mundo financeiro. Pouco se falou sobre qual seu objetivo com essa confusão toda.

Guardar dinheiro não é fácil. Escolher o que fazer com a grana que sobra é muito complicado. Então por que fazemos? Fazemos porque queremos viajar, estudar fora, comprar um carro novo, comprar uma casa, comprar um video game. Parece óbvio, mas muita gente se perde justamente no trivial.

Assim, o ato de investir não passa de um “número abstrato” na conta.

Não saber o que esse número significa e não traduzi-lo em algo concreto que tenha valor real, dificulta muito a vida de quem quer criar uma melhor relação com o dinheiro.

Por isso, todo bom investimento deve ter como ponto central a definição de seus objetivos.

“Um bom objetivo deve ser mensurável e atingível”

A questão é quase filosófica, pois passa por entender o que é importante em sua vida e o que você deseja priorizar. Por isso criamos um passo a passo para criar bons objetivos.

1 – Escolha um e dê um nome para ele

É bem provável que quando você pensa no assunto, muitas coisas passam pela sua cabeça. E você deve pensar em muitos objetivos. Escolha um deles e dê um nome, o seu nome. Se não conseguir se decidir, comece por um fundo de emergência, que seria ter 3 meses de renda guardados. Você pode chamá-lo de “fundo de emergência”, “deu zica” ou “quebre em caso de incêndio”.

2 – Tenha ideia de quanto custa

Quanto dinheiro você precisa para alcançar o que você quer? Muita gente pensa em um dia fazer um curso de inglês nos EUA, por exemplo, mas nunca parou para fazer a conta de quanto custa. Saber quanto custa é muito libertador, pois é neste momento em que o objetivo passa a ser um plano.

3 – Defina em quanto tempo gostaria de atingir

Todos temos objetivos mais de longo prazo, como se aposentar, e outros mais de curto prazo, como uma viagem para a Disney ou trocar de carro ano que vem. Colocar um prazo exato em anos é o que vai ajudar a definir quanto dinheiro você vai ter que investir para chegar lá.

Quanto mais longo o prazo, mais o dinheiro rende e menores os depósitos que precisamos fazer para chegar lá. O lado negro dos objetivos de longo prazo é que eles dificultam a disciplina, pois nosso “cérebro de dinossauro” insiste em priorizar o curto prazo e botar os objetivos muito distantes em segundo plano.

Dica: se você tem um objetivo de longo prazo, maior que 10 anos, procure quebrá-lo em objetivos menores. Isso ajuda muito na hora de poupar. Exemplo: se você gostaria de ter R$ 1 milhão na conta para se aposentar daqui a 20 anos, procure colocar um objetivo menor como o primeiro estágio: ter R$ 100 mil investidos em 2 anos. Fica mais realista e mais fácil de enxergar.

4 – Defina quanto dinheiro é necessário

Esse já é um cálculo um pouco mais complicado, mas nada de outro mundo. Precisamos definir quanto dinheiro você já pode começar investindo e quanto dinheiro irá colocar mês a mês.

A mágica acontece com a consistência: reservar mensalmente o dinheiro para alcançar seu objetivo é o que possibilita alcançar sonhos que antes pareciam inatingíveis.

Aqui um exemplo:

Nome do Objetivo: Viajar um mês pela Austrália
Valor: R$ 20.000,00
Tempo para atingir: 3 anos
Investimento inicial: R$ 2000,00

Se você não tivesse rendimento nenhum, simplesmente guardasse o dinheiro no colchão (por favor não faça isso!), você precisaria guardar R$ 18.000,00 em 36 meses, ou R$ 500/mês. No entanto, assim como os juros compostos nos maltratam quando temos uma dívida, temos que usar isso a nosso favor. Fazemos isso investindo bem (e isso não quer dizer na poupança). Existem fundos bastante seguros, com liquidez diária (significa que você pode sacar a qualquer momento) com rendimentos muito superiores à poupança.

Para entender a diferença que isso faz, investindo bem, em um fundo conservador de renda fixa, o mesmo objetivo acima poderia ser alcançado com um depósito mensal de R$ 410,00 em vez de R$ 500!

Um ponto importante para atentar na hora de escolher onde investir para atingir seu objetivo é a liquidez, que é em quanto tempo seu dinheiro está disponível após um pedido de saque. Isto é importante, pois os cenários mudam e, no caso de uma emergência, o dinheiro da viagem para a Austrália pode ter que virar uma reforma de um quarto, se um bebê aparece inesperadamente nos planos, por exemplo. É possível encontrar produtos com bons rendimentos e liquidez de poucos dias, assim você tem a flexibilidade de resgatar seu dinheiro caso precise.

5 – Revise de tempo em tempo

Independente do objetivo criado, sabemos que as coisas mudam ao longo do tempo. Nós mudamos, a conjuntura muda, nossos desejos mudam. Um mês conseguimos guardar o dinheiro que nos propusemos a guardar, no outro não, e assim segue a vida. Por isso é importante revisar como está a evolução de seu objetivo. Estou no caminho para alcançá-lo? Preciso fazer algum ajuste?

Este exercício nos dá energia e foco para continuarmos tomando decisões conscientes.

Alguns tipos de objetivos comuns, para se inspirar:

Dar a Volta ao Mundo – para os viajantes;
Fazer curso de inglês fora do Brasil – para os que querem se desenvolver profissionalmente;
Universidade particular para o filho – para garantir a educação do herdeiro;
Meu primeiro milhão – futuro milionário;
Trocar de carro – sempre melhor se programar que pagar parcela;
Bike nova – comprando saúde;
PS4 – para os Gamers;
Abrir minha empresa – dinheiro que faz mais dinheiro;
Pedir demissão – dinheiro que traz liberdade;
Festa de casamento – para os futuros noivos se prepararem.

Não importa o tipo, credo, cor ou religião do seu objetivo financeiro, se grande ou pequeno, de curto ou longo prazo…o que importa é ter (pelo menos) um. 🙂

Partiu criar o seu e começar a investir nele?

O Warren ajuda no cálculo de como atingir um objetivo. Basta descobrir seu perfil e, na sequência, construir seu objetivo.

fale com warren

(Photo By Eric BARBEAU)