—  Bê-a-bá dos Investimentos
Novidades da Apple parecem não ter motivado o mercado. Será mesmo?

Quando uma empresa marca um evento para fazer a divulgação de resultados ou o lançamento de produtos é sempre motivo de agitação no mercado. No caso da Apple, que lançou nesta quarta-feira, 12, os novos iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR e o Apple Watch 4, não foi muito diferente.

A animação apareceu na véspera do Apple Event, quando as ações da empresa tiveram alta de 2,53%, o que ajudou a bolsa americana a fechar em alta, mesmo com os recorrentes temores que andam circundando os investidores em relação ao conflito comercial internacional (já falamos disso nesse post aqui).

Mas, para quem esperava um bom humor dos investidores em relação à empresa no dia evento, acabou se decepcionando um pouco. Mesmo antes de Tim Cook subir ao palco, as ações já estavam em queda, chegando aos US$ 219,84. No início do evento, o mercado até parece ter se empolgado com a versão do Apple Watch 4, quando as ações ficaram no empate, valendo US$ 221,40.

Mas a empolgação aparentemente passou logo depois, assim que os novos modelos do iPhone começaram a ser apresentados. A tela maior, a capacidade de memória e todas as muitas melhorias do produto não caíram nas graças dos investidores e, até o fim do Apple Event, houve oscilação intensa. O papel fechou o dia valendo US$ 221,07, uma queda de 1,24%.

Untitled-1

Mas será mesmo que foi a tela maior ou mais memória que não encantaram investidores ou o que aconteceu foi um conhecido jargão de mercado “sobe no boato, realiza no fato”?

— As informações sobre as novidades já vinham sendo discutidas em vários sites há algumas semanas e nos últimos 30 dias as ações da Apple já tinham subido 10%. Então o que aconteceu é que o mercado já tinha antecipado as novidades e, exceto se fosse anunciado algo muito mirabolante, tipo o iPhone novo ser capaz de se transformar pedra em ouro, o efeito normal é uma realização. E de fato é o que na média histórica acontece nos eventos de lançamento da Apple — diz Tito Gusmão, CEO da Warren.

Portanto, fazer uma conexão de um dia de queda na bolsa com um possível mau humor de investidores com relação às novidades apresentadas é simplesmente errado. E pelo contrário, analistas especialistas nos EUA já publicaram que as expectativas de vendas para os novos iPhones são bem favoráveis.

O que é bom nisso tudo?

Momentos de queda são propícios para a compra, pois é possível comprar mais barato. A Apple é considerada uma das empresas mais consolidadas do mundo, com boa saúde financeira e um forte potencial de investimento. Se olharmos para dados históricos, o grupo obteve resultados além do esperado, sendo sempre uma boa indicação para quem investe em renda variável. Nos últimos 10 anos, a empresa saltou de US$ 10,50 por ação para os atuais U$ 221,01. Uma alta de 2000%. Nada mal, não?

Quer investir em grandes empresas americanas, como a própria Apple? Comece aqui.

Foto: Divulgação / Apple