—  Organizando Finanças Pessoais
O dia em que Neo consultou o oráculo!

Era uma segunda-feira, quando Neo saiu do trabalho e resolveu consultar o oráculo. O oráculo ficava perto da casa dele, numa sala pequena do prédio ao lado do supermercado que ele costumava ir. Ao chegar à sala, viu Tereza sentada, esperando por ele.

– Eu sabia que você viria hoje.

Neo, sem se surpreender, assentiu com a cabeça e sentou-se no sofá.

Tereza ofereceu um chá, um chá que os dois sempre tomavam antes de conversar sobre a vida e, principalmente, finanças.

Neo, então, perguntou:

– O que eu faço?
– Gaste menos, faça mais! – disse Tereza.

Neo riu alto, odiava estas obviedades ditas pelo oráculo.

– Pela amor de Deus, fale algo concreto!
– Gaste menos, faça mais – repetiu ela
– Tá, você tá me dizendo que para eu ter dinheiro, comprar o apê que eu quero, viajar pelo mundo eu só preciso gastar menos e fazer mais?
– Gaste menos, faça mais – repetiu Tereza.
– Isso não é meio óbvio – falou Neo, meio que num tom sarcástico.
– Sim, é óbvio, mas você não faz…

Neo sentiu uma zonzeira. Percebeu que ele não fazia o que o oráculo vinha dizendo há uns dois meses. Era a quarta consulta sobre finanças e a frase “gaste menos, faça mais” era a única coisa que Tereza falava. A verdade é que ele nunca se deu conta que a pergunta não era o que fazer, mas como fazer…

Tendo sofrido uma catarse, Neo gaguejou, mas conseguiu perguntar:

– Como?

Tereza sorriu, há dois meses ela esperava por esta pergunta:

– Finalmente, hein Neo! Demorou para a ficha cair… Gastar menos não só é uma ideia óbvia para conseguir economizar e investir, mas, principalmente, um propósito de vida.

– Como?

– Olha, ninguém diz que é fácil, mas o exercício de consumir menos demanda uma mudança de pensamento sobre o que compramos no dia a dia e tudo o que estocamos de bugigangas em nossa vida. Vivemos num ambiente em que consumir é muito fácil, Neo. Mas, se você notar, cada vez mais pessoas vêm adotando um modelo de viver com menos. Menos coisas para se preocupar, menos coisas com as quais gastar, o que pode resultar em mais experiências – novas e curiosas – e maior colaboração com a sustentabilidade do nosso planeta.

Neo, um pouco mais esperto, pensava como poderia aplicar isso no dia a dia.

– Neo, a pergunta é simples: “eu preciso mesmo disso”?

Neo, começou a refletir, ou ele parava de reclamar e continuava consumindo o que ele queria, ou tomava alguma atitude. A regra era clara: na matemática não existe romance, se você não está conseguindo economizar 10% para investir, ou você diminui sua despesa ou você aumenta a sua renda. Simples!

É, parecia não ter dúvida, Neo deveria rever seus hábitos. Ele andava cansado e estressado, pois a preocupação financeira, a crise, a inflação, andavam tirando o sono dele.

– Você tem que almejar um estilo de vida, em que a preocupação financeira não tire o seu sono. Quando você gasta menos você consegue fazer sobrar dinheiro para investir e investir traz inúmeras vantagens, Neo, sendo que a principal delas é sua liberdade de fazer o que quiser!

Neo, pensou numa lista de coisas que poderia fazer:

  1. a pergunta, “será que preciso mesmo disso?” seria repetida todos os dias!
  2. mais caminhadas e mais bicicleta!
  3. ir com uma lista de coisas para comprar no supermecado e se focar nisso!
  4. pesquisar muito antes de comprar algo!
  5. fazer mais comida em casa!

– E pensa comigo, Neo, só nestes 5 passos aí, você economiza um pouco e consegue investir.

Neo, se surpreendeu, Tereza leu seus pensamentos…

– Não Neo, não li nada, é meio óbvio não!?

“Ela leu de novo”, pensou ele!

– Não li! E se li, o que importa? Eu acrescentaria mais coisas nesta sua lista. Acrescentaria o “fazer mais”. Crie metas e objetivos financeiros, fale abertamente sobre dinheiro, seja sempre o melhor em tudo o que faz, busque novas fontes de renda.

Neo, finalmente, parecia ter entendido!

– Neo, lembre-se que como você lida com o dinheiro é mais importante de quanto você tem de dinheiro – finalizou Tereza.

Mais uma vez, o oráculo estava certo!

fale com warren

(Photo By Noah Silliman)