—  Bê-a-bá dos Investimentos
Quais os melhores investimentos para 2019

2018 foi um ano movimentado na economia brasileira. Eventos como as eleições, a greve dos caminhoneiros e a discussão em torno da reforma da previdência causaram momentos de crise e instabilidade política e econômica. Mas para 2019, a expectativa é de um cenário mais calmo, com a retomada do crescimento e o país voltando a se desenvolver.

O que deve impactar positivamente os seus investimentos em 2019?

Crescimento da economia brasileira:

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) prevê um crescimento de 2,9%, enquanto o relatório FOCUS, que reúne a opinião dos principais analistas financeiros do país, prevê uma economia 2,5% mais fortalecida no ano que vem.

Inflação:

Ainda de acordo com o FOCUS, a inflação deve girar em torno dos 4% em 2019. A inflação é um ponto importante a ser levado em conta quando você investe, pois ela pode diminuir os seus rendimentos líquidos e desvalorizar o dinheiro investido.

Selic:

A estimativa dos especialistas é que a taxa de juros termine o ano de 2019 na casa dos 7,5%. É uma boa notícia para os investidores de renda fixa, pois diversos produtos dessa modalidade usam a Selic como referência para calcular a rentabilidade.

Empregos em alta

Com a expectativa de uma economia mais ativa, a máquina brasileira deve voltar a operar com tudo. Isso causa efeitos positivos que estimulam o desenvolvimento de projetos, o crescimento de empresas e, por consequência, o aumento na geração de empregos.

Com o cenário remando a favor, quais seriam os produtos de investimento mais indicados para o investidor ter mais resultados?

Melhores produtos de renda fixa para 2019:

Com a Selic em 6,5% em boa parte de 2018, os produtos de renda fixa tiveram um voo de cruzeiro um pouco mais calmo e ameno.

Como a expectativa é que a taxa básica de juros suba para 7,5%, o investidor vai encontrar produtos com rentabilidade atrelada à Selic com resultados mais animadores, como CDBs e Tesouro Selic, por exemplo.

Além disso, a modalidade de crédito privado vem despontando como uma opção superinteressante, já que boas gestoras estão conseguindo atrelar ótimos retornos com uma carteira bem diversificada (reduzindo o risco).

— Com a atividade econômica aquecida em 2019, o caminho natural é termos um aumento do apetite das empresas por diferentes formas de financiamento. Ou seja, elas passam a oferecer mais papéis a juros atrativos. A expectativa é que os fundos consigam entregar rentabilidade próxima de 110% do DI com possibilidade de resgate no curto prazo — diz o Product Owner da Warren Brasil, Alex Frighetto.

Comece a investir em fundos de crédito privado

Crédito Privado é um produto de investimento no qual você é credor de uma empresa. Ou seja, você empresta o seu dinheiro para uma instituição privada e ela retorna esse valor com juros (que é a sua rentabilidade).

É uma boa opção para quem é conservador, mas quer ter mais performance que em títulos públicos e menos oscilação que um investimento em ações.

Por que rende mais que títulos públicos?

Como a lei do mercado financeiro diz que a rentabilidade de um produto está diretamente ligada ao risco que ele tem, os fundos de crédito privado acabam apresentando um grau a mais de volatilidade que os títulos do tesouro.

Isso porque as empresas são organismos privados, com menos planos de contenção em momentos de crise. Por isso, pagam mais. Saiba mais sobre fundos de crédito privado aqui.

Investindo em ações em 2019:

O mercado brasileiro vem em uma maré de otimismo neste último trimestre. É uma boa notícia para os investidores com perfil mais arrojado, já que a expectativa da retomada do crescimento na economia do país no ano que vem impacta diretamente a bolsa brasileira.

— Sem o patrocínio dos Quantitatives Easings nos mercados desenvolvidos, a nossa bolsa volta a ficar atrativa para os investidores estrangeiros que andavam pouco motivados para compra de ações brasileiras - diz Felipe Beys, gerente de Relacionamento da Warren.

Ainda de acordo com Beys, a volta dos investidores estrangeiros não é o único motivo da animação para 2019.

— Temos bons indicadores de confiança do consumidor e confiança do empresariado que dão sinais de recuperação após três anos de ostracismo. Por último, a revisão para cima de indicadores de atividade como PIB, produção industrial e consumo das famílias - analisa.

A votação da Reforma da Previdência também é ponto-chave: caso ela se confirme até o primeiro semestre de 2019, a expectativa para o Ibovespa é de uma valorização de 25% ao longo do ano, fechando 2019 na faixa de 105 mil pontos.

— Hoje, o investidor pode ter uma falsa impressão de que a bolsa brasileira está cara pois está próxima das máximas históricas, rodando atualmente próximo aos 85.000 pontos. Na verdade, ela está negociando com um Preço/Lucro de 10,5, o que ainda está abaixo do seu valor histórico - explica.

Investir em ações brasileiras ou americanas?

Surfar no otimismo local ou optar pelo movimentado mercado americano? Especialistas dizem: os dois. Isso porque ambos possuem uma tendência de alta em 2019, porém com riscos.

Para ficar de olho:
No Brasil, a Reforma da Previdência ainda é o gatilho para recuperação da Bovespa. Sua aprovação pode inclusive, por sinalização do futuro presidente, ser fatiada. Já nos Estados Unidos, uma tendência de alta de taxas de juros, incentivos tributários corporativos e a guerra comercial com a China devem ditar o rumo do comportamento do S&P 500.

Importante: invista em renda variável em objetivos de longo prazo, sempre. O mercado de ações é sensível a mudanças no curto prazo.

A melhor estratégia para investir em ações em 2019

Investir em ações é entrar em um campo onde a volatilidade é a dona do estádio, do juiz e comanda o placar. Saber lidar com ela é o que vai ditar o ritmo do jogo.

A melhor estratégia quando se vislumbra um cenário de alta com volatilidade é:

  • Recorrência: quem investe de forma recorrente ao longo do ano, independente do cenário ou do comportamento de curto prazo, se beneficia do preço médio. Quando o investidor faz seus aportes mensais no Warren, ele compra cotas em diferentes preços, o que é muito importante para momentos de volatilidade como devemos presenciar no próximo ano.

  • Diversificação: investidores experientes sabem o quanto a diversificação é capaz de potencializar resultados e minimizar riscos. Portanto, não aposte todas as suas fichas em poucas ações. Tomar a decisão entre as diversas ações que compõem o Ibovespa e o S&P500, por exemplo, pode ser trabalhoso, caro e ruim, principalmente se você não tem conhecimento ou não quer perder tempo com day trade. De acordo com Beys, “os fundos de ações da Warren têm por objetivo superar os indicadores das bolsas brasileiras e de fato ele vêm entregando isso”.

Bastante coisa, não? Mas fique tranquilo que é assim mesmo. Bons investimentos são chatos. Mas aí que está o ponto: você pode enfrentar toda essa "chatice" ou deixar que o Warren cuide de tudo isso pra você, em poucos minutos.

Seja um bom investidor em 2019! Comece a investir nos melhores portfólios do mercado e tire o máximo de resultados do seu dinheiro, agora!