—  Organizando Finanças Pessoais
Nossa relação com o dinheiro

Todos os dias, lidamos infinitas vezes com dinheiro. Comprando o primeiro café rumo ao trabalho, pagando o transporte ou o estacionamento, organizando as contas, o almoço, planejando a compra de um sofá novo, a viagem no fim de semana, o cinema à noite, os investimentos, ou ajudando o primo que está precisando de uma mãozinha para pagar o cursinho pré-vestibular.

“Money, it’s a gas…”

O dinheiro pode fazer a gente perder o sono com aquela dívida enorme no cartão de crédito, ou pode fazer a gente pular de euforia com a bela remuneração de um projeto bem feito ou o bônus gordo no final do semestre.

Alguns culpam o dinheiro por criar ganância, mas é como culpar a faca por um corte.

O dinheiro pode trazer conforto, mais estrutura ou prazer na compra de algo supérfluo.

(Se o sujeito é feliz comprando um par de tênis com lâmpadas de neon, deixa o cara!).

Mas, o melhor de tudo, é que o dinheiro traz liberdade! Liberdade de ser ou fazer o que quiser.

Tá, mas se ele, o dinheiro, pode fazer tão bem, porque estudos dizem que 80% dos brasileiros não sabem lidar bem com dinheiro, independente da quantidade que possuem em suas contas? Por que essa relação é tão conflituosa?

Medo!!!

Medo. Medo de perder o dinheiro, de não conseguir se sustentar, medo de ganhar mais do que merece, medo de ser bem sucedido e ser julgado por ser bem sucedido, medo de parecer egoísta, medo de ser enganado, medo de pagar mais…medo, medo, medo!

E que tal perder o medo, sair das estatísticas e melhorar a sua relação com o dinheiro?

Multiplicar sua riqueza, negociar seu próprio talento pessoal, saber cobrar e ter lucro, reservar uma parte dos ganhos para os seus sonhos, reservar outra parte para doar e ajudar outras pessoas a crescerem, reaprender a arriscar com as facilidades de hoje, usufruir da vida com alegria e prazer, tudo isso deve fazer parte do processo de aprender a lidar bem com o seu dinheiro.

Note que falamos em “reservar outra parte para doar e ajudar outras pessoas a crescerem”. Pode parecer egoísmo, mas você deve primeiro cuidar do seu dinheiro antes de ajudar os outros.

Lembra quando a comissária de voo diz, antes do avião decolar, que, se ocorrer uma emergência, “máscaras cairão do teto” e que você precisa primeiro por a sua máscara para depois ajudar a outra pessoa? É isso aí! Como diabos você vai conseguir ajudar os outros se nem consegue respirar?

Portanto, coloque a máscara em você e cuide bem do seu dinheirinho conquistado com tanto esforço.

Não tenha medo de pensar que ele pode fazer bem, pois ele fará, inicialmente para você e depois para muitos outros.

fale com warren

(Photo By Mike Petrucci)